Autor Tópico: Esmagamento quadro  (Lida 6324 vezes)

Offline Zell

  • Avaliação: (2)
  • Membro 100% Pureza
  • *****
  • Mensagens: 8354
  • Fixie Points -37
  • Gostos de champanhe, bolsos de cerveja!
    • Nad'a ver
Re: Esmagamento quadro
« Responder #20 em: Junho 18, 2014, 02:01:20 pm »
Alto lá, isso que acabaste de dizer é ofensivo para muita gente e mostra que tens respeito zero por tudo o que te rodeia, podes ter quadros de titanio ou carbono ou o raio que o parta e não é por isso que te estás a cagar mais ou menos para o ambiente. Se comprares um carro em vez de uma bicicleta, fazes muito pior, mas mete a mão na consciencia pas merdas que dizes.
Tem calma moço, é apenas o jv- a ser o jv- ;)
Diz-me como te vestes, dir-te-ei como pedalas - Simply Commuting

It never gets easier, you just go faster - Greg LeMond
Para quem usa o Endomondo - http://earnd.it/RnsPjW

Ladrões de biclas deviam ser enraiados em radial!

Offline Skyforger

  • Avaliação: (0)
  • Membro Fixed Gear
  • ***
  • Mensagens: 194
  • Fixie Points 0
Re: Esmagamento quadro
« Responder #21 em: Junho 18, 2014, 03:01:33 pm »
Bem, quando falamos em diferenças de 8 para 12 kg numa bicicleta de estrada, com finalidades idênticas, aí obviamente tenho de concordar que teremos outro gozo com a que fôr mais leve, independentemente do material. Agora, se pegarmos em bicicletas semelhantes (em componentes, peso, finalidade, etc.) de cada material, certamente será mais fácil perceber qual aquele que nos dará mais gozo e só dessa forma podemos chegar à conclusão de que gostamos mais de carbono, de aço, de alumínio ou de bambu...:) Felizmente já tive oportunidade de ter essa experiência com bicicletas de estrada. Andei 2 anos com uma de alumínio, 5 anos com carbono e agora ando com uma de aço. Olhando apenas ao factor peso, a de alumínio era coisa para rondar os 9,3 kg, a de carbono estava nos 8 kg e a de aço está nos 8,9 kg, com tendência para baixar. Ora, tendo em conta que estamos a falar de diferenças de peso residuais enquanto conjunto, acho que tenho legitimidade para avaliar os materiais por si só, e não pelo aço significar mais 4 kg às costas o que, obviamente, deturpa desde logo qualquer comparação com uma bicicleta de outro material mais leve. Desta experiência não tenho dúvidas em eleger o aço como o melhor material, pelo menos para mim. O alumínio era rijo como cornos, o carbono achei-o desconfortável, frágil e pouco duradouro. Quanto ao aço, encaixa que nem uma luva no que pretendo: conforto, durabilidade, intemporalidade, personalidade, diferença! Claro que há carbono e carbono e certamente haverá quadros mais confortáveis do que aquele que usei durante 5 anos, mas não fiquei com vontade de voltar a esse material.

Sinceramente estou-me a borrifar para os avanços tecnológicos que vão sendo feitos no uso do carbono ou de materiais aero-espaciais  na construção de bicicletas. Gosto do lado simples da vida, não só nas bicicletas como em quase tudo, e não tenho paciência nem me dá particular gozo em andar a acompanhar o último grito da tecnologia. Mas isto sou eu e o que é bom e lógico para mim, pode não ser para outro.

Falta-me experimentar o titânio, material sobre o qual tenho muita curiosidade e com o qual acho que viria a dar-me bem...mas não há orçamento para isso e acho que um bom quadro de aço pode ombrear perfeitamente com o titânio. 

Offline jv-

  • Avaliação: (0)
  • Membro 100% Pureza
  • *****
  • Mensagens: 2353
  • Fixie Points -2
Re: Esmagamento quadro
« Responder #22 em: Junho 18, 2014, 03:24:05 pm »
Alto lá, isso que acabaste de dizer é ofensivo para muita gente e mostra que tens respeito zero por tudo o que te rodeia, podes ter quadros de titanio ou carbono ou o raio que o parta e não é por isso que te estás a cagar mais ou menos para o ambiente. Se comprares um carro em vez de uma bicicleta, fazes muito pior, mas mete a mão na consciencia pas merdas que dizes.

Quais merdas pa? Tenho de te dar razão em alguns aspectos. De facto, quando compro um carro ou uma bicicleta preocupo-me com o ambiente onde os vou guardar, pois não quero que se fodam. No entanto não me preocupo mais ou menos se a bicicleta for deste ou de outro material, valorizo o sitio onde se guardam e agradeco que estejam longe dos "elementos".




skyforger julgo que a diferenca de peso entre quadros de aco e de titânio é suficiente para se considerar. No caso do meu, a versão em aco apresenta diferencas de peso superiores a 700g. Sem falar das outras diferencas entre os materiais, este já me parece um valor a ter em conta na escolha.

Offline fc

  • Avaliação: (0)
  • Membro 100% Pureza
  • *****
  • Mensagens: 3177
  • Fixie Points 0
Re: Esmagamento quadro
« Responder #23 em: Junho 18, 2014, 03:32:09 pm »
Bem, quando falamos em diferenças de 8 para 12 kg numa bicicleta de estrada, com finalidades idênticas, aí obviamente tenho de concordar que teremos outro gozo com a que fôr mais leve, independentemente do material. Agora, se pegarmos em bicicletas semelhantes (em componentes, peso, finalidade, etc.) de cada material, certamente será mais fácil perceber qual aquele que nos dará mais gozo e só dessa forma podemos chegar à conclusão de que gostamos mais de carbono, de aço, de alumínio ou de bambu...:) Felizmente já tive oportunidade de ter essa experiência com bicicletas de estrada. Andei 2 anos com uma de alumínio, 5 anos com carbono e agora ando com uma de aço. Olhando apenas ao factor peso, a de alumínio era coisa para rondar os 9,3 kg, a de carbono estava nos 8 kg e a de aço está nos 8,9 kg, com tendência para baixar. Ora, tendo em conta que estamos a falar de diferenças de peso residuais enquanto conjunto, acho que tenho legitimidade para avaliar os materiais por si só, e não pelo aço significar mais 4 kg às costas o que, obviamente, deturpa desde logo qualquer comparação com uma bicicleta de outro material mais leve. Desta experiência não tenho dúvidas em eleger o aço como o melhor material, pelo menos para mim. O alumínio era rijo como cornos, o carbono achei-o desconfortável, frágil e pouco duradouro. Quanto ao aço, encaixa que nem uma luva no que pretendo: conforto, durabilidade, intemporalidade, personalidade, diferença! Claro que há carbono e carbono e certamente haverá quadros mais confortáveis do que aquele que usei durante 5 anos, mas não fiquei com vontade de voltar a esse material.

Sinceramente estou-me a borrifar para os avanços tecnológicos que vão sendo feitos no uso do carbono ou de materiais aero-espaciais  na construção de bicicletas. Gosto do lado simples da vida, não só nas bicicletas como em quase tudo, e não tenho paciência nem me dá particular gozo em andar a acompanhar o último grito da tecnologia. Mas isto sou eu e o que é bom e lógico para mim, pode não ser para outro.

Falta-me experimentar o titânio, material sobre o qual tenho muita curiosidade e com o qual acho que viria a dar-me bem...mas não há orçamento para isso e acho que um bom quadro de aço pode ombrear perfeitamente com o titânio.

Tens ai uma foto da bicicleta em aço de 8,9kg sem os ultimos gritos tecnologicos. Parto do principio que o garfo também é em aço e o grupo tem os manipulos de mudanças no downtube.

Eu não acho muito desconfortavel o aluminio com um garfo de carbono (não estou a dizer que é o mais confortavel mas o preço compensa bem), mas também nunca fiz mais de 300km de seguida.

Offline Tiago cruz

  • Avaliação: (0)
  • Membro Fixed Gear
  • ***
  • Mensagens: 357
  • Fixie Points 0
Re: Esmagamento quadro
« Responder #24 em: Junho 18, 2014, 04:08:12 pm »

Eu não acho muito desconfortavel o aluminio com um garfo de carbono (não estou a dizer que é o mais confortavel mas o preço compensa bem), mas também nunca fiz mais de 300km de seguida.

Eu nunca fiz mais de 40 de seguida ... eh eh ...

Offline Skyforger

  • Avaliação: (0)
  • Membro Fixed Gear
  • ***
  • Mensagens: 194
  • Fixie Points 0
Re: Esmagamento quadro
« Responder #25 em: Junho 18, 2014, 04:09:48 pm »
jv- , O titânio é bom, bonito, fiável, confortável, leve, etc... mas não seria pela diferença de 700 gr para um de aço que optaria pelo de titânio, principalmente porque é estupidamente mais caro. Houvesse dinheiro e o titânio seria a minha opção, sem dúvida. Mas o bom aço oferece um compromisso muito idêntico.


fc, mas porque é que partes do suposto que uma bicicleta de aço tem de ter forqueta em aço, mudanças no downtube e material do tempo da outra senhora? Achei que estávamos a falar de materiais de quadros e não do conjunto. Podes perfeitamente pegar num bom quadro de aço e fazer uma montagem com o que de mais leve e moderno há por aí. É por isso que deixa de ser uma bicicleta de aço?

Quanto à minha bicicleta, sim, podes vê-la aí nas "Outras Bicicletas", é a Colnago Master X-Light. 

Offline The Caped Crusader

  • Avaliação: (17)
  • Membro 100% Pureza
  • *****
  • Mensagens: 16393
  • Fixie Points 2
Re: Esmagamento quadro
« Responder #26 em: Junho 18, 2014, 04:16:27 pm »
A bicicleta de aço ficou confinada aos rolos porque comprei-a com o intuito de subir, e de negocio de ocasião, e subia bem melhor de fixed. Para mim uma bicicleta de aço classica com mais de 10kg e manipulos no down tube não serve. Foi a conclusão que cheguei. Quando a comprei pensei que ia ser diferente. Acabei por a vender.

Sim, Filipe, isso eu percebi, que ficou confinada aos rolos. É pena. Mas se faz sentido para ti andar sempre de carreto preso, epá, fixe. Quem sou eu para discordar? Mas há aí um grande preconceito em relação às mudanças, e noto-o em muitos dos teus comentários, chegam a ser ofensivos por vezes.
Na minha opinião, nunca de deste ao trabalho de explorar as mudanças duma bicicleta e para que servem e o que se pode tirar delas.
Mudanças no downtube? Até há bem pouco tempo andei sempre com a minha Merckx para todo o lado, subidas, descidas, centenas de quilómetros várias vezes, e nunca achei que fossem um grande empecilho. Claro que brifters são muito mais cómodos, especialmente para reduções a subir e aumentos a descer, mas com shifters no downtube também se faz tudo. E a minha Merckx pesava 10,2Kg.

Atenção a um aspecto - o Titânio pode ser o rei, mas a nível de processos intermédios (extracção, purificação, transformação) gasta muito mais energia e é pior para o ambiente que o aço. Por isso é que é tão caro.

Pelo que já li, o Titânio é caro porque é muito raro encontrá-lo em grandes quantidades na natureza, só aparece aos bocadinhos muito pequeninos e tem que se juntar muito para conseguir fazer alguma coisa. O processo de o transformar consta que até é mais barato que o aço...
Carbono é a tua tia.

Offline fc

  • Avaliação: (0)
  • Membro 100% Pureza
  • *****
  • Mensagens: 3177
  • Fixie Points 0
Re: Esmagamento quadro
« Responder #27 em: Junho 18, 2014, 04:21:05 pm »
fc, mas porque é que partes do suposto que uma bicicleta de aço tem de ter forqueta em aço, mudanças no downtube e material do tempo da outra senhora? Achei que estávamos a falar de materiais de quadros e não do conjunto. Podes perfeitamente pegar num bom quadro de aço e fazer uma montagem com o que de mais leve e moderno há por aí. É por isso que deixa de ser uma bicicleta de aço?

Quanto à minha bicicleta, sim, podes vê-la aí nas "Outras Bicicletas", é a Colnago Master X-Light.

A questão era não acompanhares a tecnologia. Teres uma bicicleta em aço com um garfo em carbono, algo que eu faria, não é propriamente uma coisa classica. E quem fala disso, diz um grupo moderno, coisa que eu também colocaria.
« Última modificação: Junho 18, 2014, 04:35:09 pm por fc »

Offline fc

  • Avaliação: (0)
  • Membro 100% Pureza
  • *****
  • Mensagens: 3177
  • Fixie Points 0
Re: Esmagamento quadro
« Responder #28 em: Junho 18, 2014, 04:31:30 pm »
A bicicleta de aço ficou confinada aos rolos porque comprei-a com o intuito de subir, e de negocio de ocasião, e subia bem melhor de fixed. Para mim uma bicicleta de aço classica com mais de 10kg e manipulos no down tube não serve. Foi a conclusão que cheguei. Quando a comprei pensei que ia ser diferente. Acabei por a vender.

Sim, Filipe, isso eu percebi, que ficou confinada aos rolos. É pena. Mas se faz sentido para ti andar sempre de carreto preso, epá, fixe. Quem sou eu para discordar? Mas há aí um grande preconceito em relação às mudanças, e noto-o em muitos dos teus comentários, chegam a ser ofensivos por vezes.
Na minha opinião, nunca de deste ao trabalho de explorar as mudanças duma bicicleta e para que servem e o que se pode tirar delas.
Mudanças no downtube? Até há bem pouco tempo andei sempre com a minha Merckx para todo o lado, subidas, descidas, centenas de quilómetros várias vezes, e nunca achei que fossem um grande empecilho. Claro que brifters são muito mais cómodos, especialmente para reduções a subir e aumentos a descer, mas com shifters no downtube também se faz tudo. E a minha Merckx pesava 10,2Kg.

Eu não tenho preconceitos com as mudanças, aceito que o futuro são os materiais compostos, impressões em 3D, e mudanças eletrónicas.
Tive uma bicicleta classica, relativamente bonita, andei com ela e vi que tinha mais prazer a olhar para ela do que a andar nela. Fiquei feliz no dia que a vendi como fiquei no dia que a comprei, talvez até um pouco mais.
A proxima bicicleta que comprar será seguramente de estrada com mudanças. Para andar na cidade já tenho a bicicleta perfeita, "não" tem manutenção, não oxida com a chuva, e não me preocupo com os riscos pois saem com uma borracha de tinta. Não sou o tipo de pessoa que dá uma volta de bicicleta e chega a casa e desmonta tudo para limpar, puxar lustro e afinar.

Offline The Caped Crusader

  • Avaliação: (17)
  • Membro 100% Pureza
  • *****
  • Mensagens: 16393
  • Fixie Points 2
Re: Esmagamento quadro
« Responder #29 em: Junho 18, 2014, 04:39:59 pm »
Pois, se pensas em vir a ter uma bicicleta com mudanças prepara-te porque é uma máquina 'complexa' e terás forçosamente que lhe fazer manutenção, senão começa a desafinar e desgastar os componentes com mais rapidez. Pelo menos manter a transmissão limpa e a funcionar bem é uma coisa essencial. Ao fim de 500Km de estrada (ou menos até) uma corrente nova fica porca e cheia de detritos. E o desviador começa a queixar-se e a falhar mudanças. Disso não te safas.
Carbono é a tua tia.

Offline Skyforger

  • Avaliação: (0)
  • Membro Fixed Gear
  • ***
  • Mensagens: 194
  • Fixie Points 0
Re: Esmagamento quadro
« Responder #30 em: Junho 18, 2014, 04:40:09 pm »
fc, mas porque é que partes do suposto que uma bicicleta de aço tem de ter forqueta em aço, mudanças no downtube e material do tempo da outra senhora? Achei que estávamos a falar de materiais de quadros e não do conjunto. Podes perfeitamente pegar num bom quadro de aço e fazer uma montagem com o que de mais leve e moderno há por aí. É por isso que deixa de ser uma bicicleta de aço?

Quanto à minha bicicleta, sim, podes vê-la aí nas "Outras Bicicletas", é a Colnago Master X-Light.

A questão era não acompanhares a tecnologia. Teres uma bicicleta em aço com um garfo em carbono, algo que eu faria, não é propriamente uma coisa classica.

Acho que estás a baralhar um bocadinho as coisas. Afinal estávamos a falar das diferenças de uma bicicleta de carbono de 8 kg para uma de aço equivalente ou estávamos a falar das diferenças de uma bicicleta de carbono de 8 kg para uma bicicleta de aço clássica?? Se assim for, então esta comparação perde todo o sentido, pois é o equivalente a comparares um Ferrari de 2014 a um modelo de 1980. Obviamente que o modelo mais recente será sempre mais veloz, mais moderno, mais sofisticado. Se te dá mais prazer que o de 1980, isso já é mais relativo. Na questão das bicicletas, o que estávamos a discutir era o material do quadro e só podes comparar um quadro de carbono com um de aço se tiverem montagens mais ou menos equivalentes em termos de peso e sofisticação dos componentes. Tendo feito essa experiência, voto claramente no aço! E nem é preciso ter forqueta em carbono, fico-me mesmo pelo aço.

Offline fc

  • Avaliação: (0)
  • Membro 100% Pureza
  • *****
  • Mensagens: 3177
  • Fixie Points 0
Re: Esmagamento quadro
« Responder #31 em: Junho 18, 2014, 04:58:21 pm »
fc, mas porque é que partes do suposto que uma bicicleta de aço tem de ter forqueta em aço, mudanças no downtube e material do tempo da outra senhora? Achei que estávamos a falar de materiais de quadros e não do conjunto. Podes perfeitamente pegar num bom quadro de aço e fazer uma montagem com o que de mais leve e moderno há por aí. É por isso que deixa de ser uma bicicleta de aço?

Quanto à minha bicicleta, sim, podes vê-la aí nas "Outras Bicicletas", é a Colnago Master X-Light.

A questão era não acompanhares a tecnologia. Teres uma bicicleta em aço com um garfo em carbono, algo que eu faria, não é propriamente uma coisa classica.

Acho que estás a baralhar um bocadinho as coisas. Afinal estávamos a falar das diferenças de uma bicicleta de carbono de 8 kg para uma de aço equivalente ou estávamos a falar das diferenças de uma bicicleta de carbono de 8 kg para uma bicicleta de aço clássica?? Se assim for, então esta comparação perde todo o sentido, pois é o equivalente a comparares um Ferrari de 2014 a um modelo de 1980. Obviamente que o modelo mais recente será sempre mais veloz, mais moderno, mais sofisticado. Se te dá mais prazer que o de 1980, isso já é mais relativo. Na questão das bicicletas, o que estávamos a discutir era o material do quadro e só podes comparar um quadro de carbono com um de aço se tiverem montagens mais ou menos equivalentes em termos de peso e sofisticação dos componentes. Tendo feito essa experiência, voto claramente no aço! E nem é preciso ter forqueta em carbono, fico-me mesmo pelo aço.

Penso que não estamos a falar das mesmas coisas, ou melhor, não estamos a comparar as coisas da mesma forma. Pelo que entendi queres comparar bicicletas do mesmo peso com quadros de diferentes materias. Eu prefiro comparar bicicletas com os mesmos componentes mas com quadros de diferentes materiais.
Se me deres a escolher uma bicicleta em aço e uma em carbono que pesem ambas o mesmo, nem preciso olhar para elas para te dizer que prefiro a de aço. Pois para conseguires o mesmo peso terás que ter material muito melhor mas também muito mais caro.

Offline Skyforger

  • Avaliação: (0)
  • Membro Fixed Gear
  • ***
  • Mensagens: 194
  • Fixie Points 0
Re: Esmagamento quadro
« Responder #32 em: Junho 18, 2014, 05:10:40 pm »
fc, mas porque é que partes do suposto que uma bicicleta de aço tem de ter forqueta em aço, mudanças no downtube e material do tempo da outra senhora? Achei que estávamos a falar de materiais de quadros e não do conjunto. Podes perfeitamente pegar num bom quadro de aço e fazer uma montagem com o que de mais leve e moderno há por aí. É por isso que deixa de ser uma bicicleta de aço?

Quanto à minha bicicleta, sim, podes vê-la aí nas "Outras Bicicletas", é a Colnago Master X-Light.

A questão era não acompanhares a tecnologia. Teres uma bicicleta em aço com um garfo em carbono, algo que eu faria, não é propriamente uma coisa classica.

Acho que estás a baralhar um bocadinho as coisas. Afinal estávamos a falar das diferenças de uma bicicleta de carbono de 8 kg para uma de aço equivalente ou estávamos a falar das diferenças de uma bicicleta de carbono de 8 kg para uma bicicleta de aço clássica?? Se assim for, então esta comparação perde todo o sentido, pois é o equivalente a comparares um Ferrari de 2014 a um modelo de 1980. Obviamente que o modelo mais recente será sempre mais veloz, mais moderno, mais sofisticado. Se te dá mais prazer que o de 1980, isso já é mais relativo. Na questão das bicicletas, o que estávamos a discutir era o material do quadro e só podes comparar um quadro de carbono com um de aço se tiverem montagens mais ou menos equivalentes em termos de peso e sofisticação dos componentes. Tendo feito essa experiência, voto claramente no aço! E nem é preciso ter forqueta em carbono, fico-me mesmo pelo aço.

Penso que não estamos a falar das mesmas coisas, ou melhor, não estamos a comparar as coisas da mesma forma. Pelo que entendi queres comparar bicicletas do mesmo peso com quadros de diferentes materias. Eu prefiro comparar bicicletas com os mesmos componentes mas com quadros de diferentes materiais.
Se me deres a escolher uma bicicleta em aço e uma em carbono que pesem ambas o mesmo, nem preciso olhar para elas para te dizer que prefiro a de aço. Pois para conseguires o mesmo peso terás que ter material muito melhor mas também muito mais caro.


Agora sim, estamos a falar das mesmas coisas. Eu estou a comparar precisamente o que tu estás a comparar agora, "bicicletas com os mesmos componentes mas com quadros de diferentes materiais". Lá atrás estavas a comparar bicicletas modernas com bicicletas clássicas e isso sim, não tem comparação!
Acho que tu é que estás demasiado preso à questão do peso e tens o preconceito de que o aço é pesado! Claro que na esmagadora maioria dos casos será mais pesado que o carbono, mas pegando novamente no meu exemplo, passei de um quadro de carbono montado com 105/Ultegra e rodas de 1700 gr para um quadro de aço montado com Record/Athena/Chorus com umas rodas de 2000 gr. Estamos a falar de bicicletas equivalentes em termos de transmissão e com umas rodas mais pesadas para o lado da de aço. A diferença de peso que obtive no final foi de cerca de 900 gr entre a bicicleta de carbono e a de aço. Trocando as rodas da de aço por algo mais leve, facilmente reduzo essa diferença para as 500, 600 gr. Face a esta diferença,  continuarias a escolher a de carbono apenas baseado na questão do peso?

Offline Zell

  • Avaliação: (2)
  • Membro 100% Pureza
  • *****
  • Mensagens: 8354
  • Fixie Points -37
  • Gostos de champanhe, bolsos de cerveja!
    • Nad'a ver
Re: Esmagamento quadro
« Responder #33 em: Junho 18, 2014, 05:14:21 pm »
(...)
Atenção a um aspecto - o Titânio pode ser o rei, mas a nível de processos intermédios (extracção, purificação, transformação) gasta muito mais energia e é pior para o ambiente que o aço. Por isso é que é tão caro.
O titânio existe em grande abundância na natureza mas vem sempre agarrado a outro materiais. O que o torna caro é o processo de refinação e purificação (que geralmente leva 6 meses para cada leva) e depois não ser um material facilmente trabalhável. O facto de não ser um material em larga distribuição e disponibilidade também inglaciona o preço. O titânio como material de construção para veículos (desde os aviões a bicicletas) são sempre em ligas para ele ter as características que tem, caso contrário é muito quebradiço. a Seven Cycles tem excelentes publicações sobre isso e aconselho a leitura (tenho lá em casa impresso uma amostra dos processos e materiais deles e é fantástico e deixa sede para mais. Infelizmente ainda não encontrei o  manifest titânio do fundador da marca). Podem começar por aqui http://www.sevencycles.com/buildingbike/materials.php

É sem dúvida uma das minhas marcas de eleição, para a qual espero ter dinheiro para ter uma bicla deles um dia.

Pelo que já li, o Titânio é caro porque é muito raro encontrá-lo em grandes quantidades na natureza, só aparece aos bocadinhos muito pequeninos e tem que se juntar muito para conseguir fazer alguma coisa. O processo de o transformar consta que até é mais barato que o aço...
[/quote]
Diz-me como te vestes, dir-te-ei como pedalas - Simply Commuting

It never gets easier, you just go faster - Greg LeMond
Para quem usa o Endomondo - http://earnd.it/RnsPjW

Ladrões de biclas deviam ser enraiados em radial!

Offline fc

  • Avaliação: (0)
  • Membro 100% Pureza
  • *****
  • Mensagens: 3177
  • Fixie Points 0
Re: Esmagamento quadro
« Responder #34 em: Junho 18, 2014, 05:22:19 pm »
fc, mas porque é que partes do suposto que uma bicicleta de aço tem de ter forqueta em aço, mudanças no downtube e material do tempo da outra senhora? Achei que estávamos a falar de materiais de quadros e não do conjunto. Podes perfeitamente pegar num bom quadro de aço e fazer uma montagem com o que de mais leve e moderno há por aí. É por isso que deixa de ser uma bicicleta de aço?

Quanto à minha bicicleta, sim, podes vê-la aí nas "Outras Bicicletas", é a Colnago Master X-Light.

A questão era não acompanhares a tecnologia. Teres uma bicicleta em aço com um garfo em carbono, algo que eu faria, não é propriamente uma coisa classica.

Acho que estás a baralhar um bocadinho as coisas. Afinal estávamos a falar das diferenças de uma bicicleta de carbono de 8 kg para uma de aço equivalente ou estávamos a falar das diferenças de uma bicicleta de carbono de 8 kg para uma bicicleta de aço clássica?? Se assim for, então esta comparação perde todo o sentido, pois é o equivalente a comparares um Ferrari de 2014 a um modelo de 1980. Obviamente que o modelo mais recente será sempre mais veloz, mais moderno, mais sofisticado. Se te dá mais prazer que o de 1980, isso já é mais relativo. Na questão das bicicletas, o que estávamos a discutir era o material do quadro e só podes comparar um quadro de carbono com um de aço se tiverem montagens mais ou menos equivalentes em termos de peso e sofisticação dos componentes. Tendo feito essa experiência, voto claramente no aço! E nem é preciso ter forqueta em carbono, fico-me mesmo pelo aço.

Penso que não estamos a falar das mesmas coisas, ou melhor, não estamos a comparar as coisas da mesma forma. Pelo que entendi queres comparar bicicletas do mesmo peso com quadros de diferentes materias. Eu prefiro comparar bicicletas com os mesmos componentes mas com quadros de diferentes materiais.
Se me deres a escolher uma bicicleta em aço e uma em carbono que pesem ambas o mesmo, nem preciso olhar para elas para te dizer que prefiro a de aço. Pois para conseguires o mesmo peso terás que ter material muito melhor mas também muito mais caro.


Agora sim, estamos a falar das mesmas coisas. Eu estou a comparar precisamente o que tu estás a comparar agora, "bicicletas com os mesmos componentes mas com quadros de diferentes materiais". Lá atrás estavas a comparar bicicletas modernas com bicicletas clássicas e isso sim, não tem comparação!
Acho que tu é que estás demasiado preso à questão do peso e tens o preconceito de que o aço é pesado! Claro que na esmagadora maioria dos casos será mais pesado que o carbono, mas pegando novamente no meu exemplo, passei de um quadro de carbono montado com 105/Ultegra e rodas de 1700 gr para um quadro de aço montado com Record/Athena/Chorus com umas rodas de 2000 gr. Estamos a falar de bicicletas equivalentes em termos de transmissão e com umas rodas mais pesadas para o lado da de aço. A diferença de peso que obtive no final foi de cerca de 900 gr entre a bicicleta de carbono e a de aço. Trocando as rodas da de aço por algo mais leve, facilmente reduzo essa diferença para as 500, 600 gr. Face a esta diferença,  continuarias a escolher a de carbono apenas baseado na questão do peso?

Penso que falei várias vezes no preço. Queima um pouco mais de dinheiro e podes ter uma bicicleta em aço mais leve que a de carbono.

Offline Skyforger

  • Avaliação: (0)
  • Membro Fixed Gear
  • ***
  • Mensagens: 194
  • Fixie Points 0
Re: Esmagamento quadro
« Responder #35 em: Junho 18, 2014, 05:34:03 pm »
fc, mas porque é que partes do suposto que uma bicicleta de aço tem de ter forqueta em aço, mudanças no downtube e material do tempo da outra senhora? Achei que estávamos a falar de materiais de quadros e não do conjunto. Podes perfeitamente pegar num bom quadro de aço e fazer uma montagem com o que de mais leve e moderno há por aí. É por isso que deixa de ser uma bicicleta de aço?

Quanto à minha bicicleta, sim, podes vê-la aí nas "Outras Bicicletas", é a Colnago Master X-Light.

A questão era não acompanhares a tecnologia. Teres uma bicicleta em aço com um garfo em carbono, algo que eu faria, não é propriamente uma coisa classica.

Acho que estás a baralhar um bocadinho as coisas. Afinal estávamos a falar das diferenças de uma bicicleta de carbono de 8 kg para uma de aço equivalente ou estávamos a falar das diferenças de uma bicicleta de carbono de 8 kg para uma bicicleta de aço clássica?? Se assim for, então esta comparação perde todo o sentido, pois é o equivalente a comparares um Ferrari de 2014 a um modelo de 1980. Obviamente que o modelo mais recente será sempre mais veloz, mais moderno, mais sofisticado. Se te dá mais prazer que o de 1980, isso já é mais relativo. Na questão das bicicletas, o que estávamos a discutir era o material do quadro e só podes comparar um quadro de carbono com um de aço se tiverem montagens mais ou menos equivalentes em termos de peso e sofisticação dos componentes. Tendo feito essa experiência, voto claramente no aço! E nem é preciso ter forqueta em carbono, fico-me mesmo pelo aço.

Penso que não estamos a falar das mesmas coisas, ou melhor, não estamos a comparar as coisas da mesma forma. Pelo que entendi queres comparar bicicletas do mesmo peso com quadros de diferentes materias. Eu prefiro comparar bicicletas com os mesmos componentes mas com quadros de diferentes materiais.
Se me deres a escolher uma bicicleta em aço e uma em carbono que pesem ambas o mesmo, nem preciso olhar para elas para te dizer que prefiro a de aço. Pois para conseguires o mesmo peso terás que ter material muito melhor mas também muito mais caro.


Agora sim, estamos a falar das mesmas coisas. Eu estou a comparar precisamente o que tu estás a comparar agora, "bicicletas com os mesmos componentes mas com quadros de diferentes materiais". Lá atrás estavas a comparar bicicletas modernas com bicicletas clássicas e isso sim, não tem comparação!
Acho que tu é que estás demasiado preso à questão do peso e tens o preconceito de que o aço é pesado! Claro que na esmagadora maioria dos casos será mais pesado que o carbono, mas pegando novamente no meu exemplo, passei de um quadro de carbono montado com 105/Ultegra e rodas de 1700 gr para um quadro de aço montado com Record/Athena/Chorus com umas rodas de 2000 gr. Estamos a falar de bicicletas equivalentes em termos de transmissão e com umas rodas mais pesadas para o lado da de aço. A diferença de peso que obtive no final foi de cerca de 900 gr entre a bicicleta de carbono e a de aço. Trocando as rodas da de aço por algo mais leve, facilmente reduzo essa diferença para as 500, 600 gr. Face a esta diferença,  continuarias a escolher a de carbono apenas baseado na questão do peso?

Penso que falei várias vezes no preço. Queima um pouco mais de dinheiro e podes ter uma bicicleta em aço mais leve que a de carbono.

Sim, faltou falarmos na questão do dinheiro e aí dou-te toda a razão. Para ter uma bicicleta de aço a pesar 8kg é preciso gastar quase o dobro daquilo que gastas como uma de carbono. Está aí a grande diferença. No meu caso não se aplica porque foi um daqueles negócios tão bons que um gajo até desconfia...A Colnago veio parar-me às mãos através da troca directa, sem 1 € envolvido, por uma bicicleta de BTT na qual tinha gasto 1000€, portanto foi por esse valor que consegui uma bicicleta de aço ao peso do carbono. Claro que se fosse comprar esta mesma bicicleta pelo seu preço de tabela, a coisa ficava-me na casa dos 2000€ e com esse valor já se arranjam máquinas em carbono bem mais leves e sofisticadas. Mas tivesse eu 2000 ou 3000€ para estoirar numa bicicleta não era aço nem tão pouco carbono que comprava, mas sim titânio.

Offline fc

  • Avaliação: (0)
  • Membro 100% Pureza
  • *****
  • Mensagens: 3177
  • Fixie Points 0
Re: Esmagamento quadro
« Responder #36 em: Junho 18, 2014, 05:45:03 pm »
Sim, faltou falarmos na questão do dinheiro e aí dou-te toda a razão. Para ter uma bicicleta de aço a pesar 8kg é preciso gastar quase o dobro daquilo que gastas como uma de carbono. Está aí a grande diferença.

mas eu logo no inicio disse isso Para se ter uma bicicleta em aço leve é preciso investir um bom dinheiro.

Offline Zell

  • Avaliação: (2)
  • Membro 100% Pureza
  • *****
  • Mensagens: 8354
  • Fixie Points -37
  • Gostos de champanhe, bolsos de cerveja!
    • Nad'a ver
Re: Esmagamento quadro
« Responder #37 em: Junho 18, 2014, 05:46:16 pm »
(...)
Sim, faltou falarmos na questão do dinheiro e aí dou-te toda a razão. Para ter uma bicicleta de aço a pesar 8kg é preciso gastar quase o dobro daquilo que gastas como uma de carbono. Está aí a grande diferença. No meu caso não se aplica porque foi um daqueles negócios tão bons que um gajo até desconfia...A Colnago veio parar-me às mãos através da troca directa, sem 1 € envolvido, por uma bicicleta de BTT na qual tinha gasto 1000€, portanto foi por esse valor que consegui uma bicicleta de aço ao peso do carbono. Claro que se fosse comprar esta mesma bicicleta pelo seu preço de tabela, a coisa ficava-me na casa dos 2000€ e com esse valor já se arranjam máquinas em carbono bem mais leves e sofisticadas. Mas tivesse eu 2000 ou 3000€ para estoirar numa bicicleta não era aço nem tão pouco carbono que comprava, mas sim titânio.
ou não ;)
Diz-me como te vestes, dir-te-ei como pedalas - Simply Commuting

It never gets easier, you just go faster - Greg LeMond
Para quem usa o Endomondo - http://earnd.it/RnsPjW

Ladrões de biclas deviam ser enraiados em radial!

Offline lisboeta

  • Avaliação: (6)
  • Membro 100% Pureza
  • *****
  • Mensagens: 3075
  • Fixie Points 8
Re: Esmagamento quadro
« Responder #38 em: Junho 18, 2014, 10:01:17 pm »
Zell vai ler o que escreveste sff.
We do not inherit the earth from our ancestors, we borrow it from our children

Offline Zell

  • Avaliação: (2)
  • Membro 100% Pureza
  • *****
  • Mensagens: 8354
  • Fixie Points -37
  • Gostos de champanhe, bolsos de cerveja!
    • Nad'a ver
Re: Esmagamento quadro
« Responder #39 em: Junho 19, 2014, 01:38:50 am »
Zell vai ler o que escreveste sff.
é o que dá escrever em tablets... safa... tás feito o meu editor ahaha

(...)
Atenção a um aspecto - o Titânio pode ser o rei, mas a nível de processos intermédios (extracção, purificação, transformação) gasta muito mais energia e é pior para o ambiente que o aço. Por isso é que é tão caro.
O titânio existe em grande abundância na natureza mas vem sempre agarrado a outro materiais. O que o torna caro é o processo de refinação e purificação (que geralmente leva 6 meses para cada leva) e depois não ser um material facilmente trabalhável. O facto de não ser um material em larga distribuição e disponibilidade também inglaciona o preço. O titânio como material de construção para veículos (desde os aviões a bicicletas) são sempre em ligas para ele ter as características que tem, caso contrário é muito quebradiço. a Seven Cycles tem excelentes publicações sobre isso e aconselho a leitura (tenho lá em casa impresso uma amostra dos processos e materiais deles e é fantástico e deixa sede para mais. Infelizmente ainda não encontrei o  manifest titânio do fundador da marca). Podem começar por aqui http://www.sevencycles.com/buildingbike/materials.php

É sem dúvida uma das minhas marcas de eleição, para a qual espero ter dinheiro para ter uma bicla deles um dia.
Diz-me como te vestes, dir-te-ei como pedalas - Simply Commuting

It never gets easier, you just go faster - Greg LeMond
Para quem usa o Endomondo - http://earnd.it/RnsPjW

Ladrões de biclas deviam ser enraiados em radial!